sexta-feira, 5 de outubro de 2007

na simples e suave coisa, suave coisa nenhuma


E ela estava sentindo falta de algo, olhou por toda a casa, embaixo da cama, dentro das gavetas... Nada! Onde estaria o que procurava? O que afinal procurava? Foi quando olhou pra suas mãos e se sentiu melhor, apertou com força, deu um beijinho, guardou no coração e depois desejou que fosse feliz, mas que voltasse logo.

Saudade.

2 comentários:

Stefania Pereira disse...

Talvez a eterna procura por quem realmente somos.... mas qdo descobrimos alguma coisa, também descobrimos que sempre esteve lá... e dai teremos uma nova coisinha pra guardar, pra não nos perdermos de nós mesmos!

good night for you !

bjinhos

Natacha Cortêz disse...

loucura meu bem

só isso q tenho a dizer.