quinta-feira, 6 de setembro de 2007

the shape of things


Existe um centro entre tudo o que eu amo e aquilo que eu engulo sem mastigar, nesse intervalo de coisas o tempo pra pensar é quase nulo, mas ainda há centésimos de segundo em que às vezes tudo para e você se encontra em um "ahn?" tão grande ao ponto de perceber o quão ridícula a situação se torna e quantas vezes você olhou e simplesmente disse "tudo bem".


Horas como as últimas em que qualquer agulha caindo faz barulho, qualquer pingo transborda e qualquer "não" dá nó na garganta, e aí eu pergunto : Quem me conduz?


Não tenho dúvidas de que tenho vivido movida por qualquer outra coisa que não seja eu, resumindo? Eu não devo passar de uma tese, uma experimentação ou um interesse. A obra.


...the shape of things...

2 comentários:

Francielle disse...

Pensei q era algo sobre meu Dente!
=B

Gérson disse...
Este comentário foi removido pelo autor.